domingo, 13 de maio de 2018

Wild wild Country Documentário sobre OSHO



A pedidos, fui assistir "Wild wild Country". Como o documentário foi produzido pelos EUA, o mesmo país que prendeu Osho mesmo sem ter provas de que ele cometeu algum crime, é claro que o meu olhar seria bastante crítico. Como um jornalista norte americano já disse: "Osho foi o homem mais perigoso que passou pela Terra desde Jesus Cristo." Claro, um ser que prega sexo livre, critica casamento, critica família, critica religião, critica político e promove expansão da consciência através da liberação do orgasmo e meditação, não poderia ser bem visto num mundo castrador.

Todo iluminado tem seu extremo oposto para expandir sua luz e para que sua mensagem seja propagada no mundo todo. Jesus teve Judas e Osho teve Sheela, sua própria secretária que, a meu ver, era psicopata. Entretanto, Sheela foi a "sombra" necessária que funcionou como mola propulsora para que a mensagem de Osho atingisse milhares de pessoas no mundo todo. Quem estuda marketing sabe o quanto o gatilho da polêmica é útil para fazer alguém ser visto por milhares de pessoas. No caso, esse gatilho da polêmica aconteceu naturalmente, já que um ser como Osho é polêmico pela própria natureza.
Para um país consumista se interessar pelas mensagens dele, nada melhor do que ter 90 Rolls Royce. Osho era ostentador? Óbvio que não! O que uma pessoa que transcendeu o ego vai querer com um monte de carros? O que ele queria com isso era chocar para pegar as pessoas interessadas nesse assunto pelo ego e assim ele conseguiria passar a mensagem dele. Para mim, isso era uma piada que ele fazia e que funcionava, porque bem ou mal, muita gente ficou sabendo da existência dele por conta do acúmulo de carros.

O que eu tenho a dizer sobre o documentário é que ele tem alguns aspectos interessantes, mas ele é muito pouco sobre Osho. Ele é muito mais sobre a disputa de poder entre Sheela, secretária psicopata do Osho com a vizinhança de Antelope, uma cidadezinha de Oregon que foi ocupada pela comunidade de Osho, até então conhecido como Rajeneesh. Disputa de egos, simples assim. Sobre as mensagens de amor, riso e alegria de Osho teve muito pouco, talvez em alguns poucos momentos em que as pessoas da comuna eram filmadas dançando e cantando.

Osho estava retirado em silêncio absoluto, sem sair do seu quarto por 3 anos e meio, praticamente. Sheela, sua secretária, se aproveitou da situação para "pintar e bordar" na comunidade, trazendo armas, cometendo crimes, roubos, manipulando pessoas e fundando uma religião, que era algo que Osho abominava. Osho era totalmente contra religiões. Osho nunca defendeu fanatismo. Ele sempre defendeu a liberdade e autonomia dos membros de sua comuna. Ele dizia: "Não obedeça a ordens, exceto àquelas que venham de dentro." Osho sempre incentivou que as pessoas fossem elas mesmas. Entretanto, como ela (Sheela) se reunia todas as noites com Osho para discutir os parâmetros da comunidade, ela dizia para os membros da mesma o que ela bem entendia: " Nosso mestre nos mandou fazer isso ou aquilo". Tudo foi desmentido por Osho quando a verdade veio à tona em 1985.
Sheela, na verdade, estava montando seu próprio império que nada tinha a ver com os ensinamentos do Osho.

Quando perguntado por um jornalista como um homem iluminado permitiu que aquela mulher fizesse aquilo, Osho respondeu algo como ( vou escrever com minhas palavras porque o texto original está em inglês, deixarei nos comentários): "Eu confiava nela porque depois que me iluminei passei a ter a confiança de uma criança.(...) A iluminação não tem a ver com conhecer o outro, mas sim com conhecer a mim mesmo, a minha própria consciência (...)" Ele também diz, num certo momento, que queria que os membros de sua comunidade pudessem experienciar na prática quão horrível é ter uma religião que reprime suas liberdades. Ele falava isso na teoria, mas nada é tão real como a própria experiência.

O fato é que Osho ouvia rumores sobre os absurdos que Sheela fazia, mas não tinha provas concretas. Em 1985, quando ela fugiu da comunidade e ficou provado que ela havia roubado 43 milhões de dólares de outra comunidade e colocado em sua conta na Suíça, dentre outros crimes, Osho imediatamente saiu do silêncio, convocou uma entrevista coletiva e a denunciou. Ele estava aberto para cooperar com a polícia, ele mesmo denunciou o crime. O fato é que, mesmo ele tendo denunciado Sheela, ao que tudo indica, esse foi o motivo perfeito para o governo dos EUA voltar a opinião pública contra Osho acusando-o de crimes que não foi ele quem cometeu e sim Sheela. O fato é que a Comuna do Osho incomodava muita gente e, por isso, era bastante indesejada na região.

Para evitar um massacre dentro da comunidade, Osho se propôs a uma rendição voluntária que não foi aceita pelo governo. No dia em que a comunidade seria invadida por policiais, ele pegou seu avião e foi embora da Comuna. Alguns interpretam isso como fuga, mas eu já vi Osho falando numa palestra que ele fez isso para evitar um massacre, porque os membros de sua Comuna tinham armas em muito maior quantidade do que a Polícia local ( foram treinados pela Sheela) e certamente iriam fazer o possível para evitar que Osho fosse preso. Certamente esse conflito provocaria um assassinato em massa.

No fim das contas, mesmo sem nenhuma prova concreta contra ele, Osho ficou preso por algumas semanas. Foi obrigado a voltar para a Índia, na sua antiga comuna, em Poona. Morreu poucos anos depois. O médico legista diagnosticou que ele estava sendo envenenado ( Por que será que foi envenenado? Interessante que o mesmo se repete com os grande nomes da humanidade, desde Sócrates até Wilhelm Reich)

O fato é que Osho, em algumas palestras, relata que tinha como missão desprogramar alguns padrões de comportamento muito arraigados na América. A meu ver, por isso tudo aconteceu como tinha que ser.

Como ele dizia:

" As pessoas iluminadas têm mais inimigos do que as não-iluminadas, pois os cegos não perdoam quem enxerga e os ignorantes não perdoam quem sabe.
Ser amigável, amoroso, autêntico, inocente sem causa é suficiente para disparar muitos egos contra si."
( Osho )

O fato é que os últimos anos da vida de Osho foram bastante conturbados, mas certamente tudo aconteceu como tinha que ser. De alguma forma, toda essa depuração que aconteceu na América e no mundo foi uma forma bem profunda e drástica de reprogramar milhares de consciências a focarem na luz.

Você pode gostar ou odiar Osho, tanto faz, o fato é que é impossível você ser indiferente a ele, porque ele vai mexer com você. Osho não é uma pessoa morna. Ele é intenso, profundo e provocador. Ele vai desestruturar seu ego. Ele vai cutucar suas feridas. Ele vai te deixar confuso. O olhar dele vai despi-lo e vai convidá-lo a expressar sua luz e sua sombra. Provavelmente, em alguns momentos você terá muita raiva dele e em outros momentos, muito amor. Tudo bem, ele só está sendo um espelho de quem você é. Como todo iluminado, ele inspira que você traga para fora o que está oculto, porque, como ele mesmo diz, apenas quando as feridas vem à tona elas podem secar. A meu ver, foi isso que Osho fez com aquelas pessoas, deixou as feridas brotarem para que a depuração acontecesse. Para isso, ele mesmo ofereceu seu corpo para promover a depuração em massa, o que, a meu ver, só é mais uma demonstração da sua compaixão.

Com amor, leveza e alegria,

Gisela Vallin

Tirei muitas informações daqui também, que vai muito além do documentário,pois mostra a perspectiva do Osho diante dos acontecimentos. Só achei em inglês:

http://www.oshoworld.com/biography/innercontent.asp...
Gerenciar
Welcome to Osho World
OSHOWORLD.COM

Nenhum comentário:

Postar um comentário